terça-feira, 15 de março de 2011

UENH, 63 anos fazendo história

Ontem (14/03), a União dos Estudantes de Novo Hamburgo - UENH, completou 63 anos. O fato por si só já deve ser comemorado, afinal são poucas organizações que conseguem chegar a essa idade. Mas, mais do que isso, a UENH completa 63 anos acumulando grandes conquistas para os estudantes e mantendo-se atual.

"Se muito vale o já feito..."

Fundada em 1948, antes mesmo da entidade nacional, União Brasileira dos Estuantes Secundaristas - UBES, a qual é filiada, a UENH logo torna-se referencia cultural para a cidade e permanece viva até mesmo durante os duros anos de Regime Militar.
Na década de 1980, traz uma de suas principais conquistas para Novo Hamburgo: o direito ao meio-passe estudantil no transporte público. Em 1992 sai às ruas pelo Impeachment do presidente Collor, no movimento que entraria para a história como "Caras-Pintadas". Também é na década de 1990 que a UENH conquista sua sede, a "Casa do Estudante" e é a primeira entidade a lutar pela extenção da linha do metrô para Novo Hamburgo, conquista que está sendo atingida em 2011.
Na segunda metade dos anos 90 e ao longo dos anos 2000, a UENH organiza aquelas que seriam as maiores mobilizações já vistas pela cidade, contra o sucateamento da educação, pela livre atuação dos Grêmios Estudantis e na campanha "Sou da Paz", contra a guerra imperialista. É também nessa época que a entidade firma-se como referência na luta por um transporte público de qualidade.
Na virada do milênio, a UENH vê sua ex-presidente, Carla Santos, assumir a presidencia da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas, tamanha era a referência da entidade para o movimento estudantil nacional.
Em 2005 conquista a Lei da Meia-Entrada Cultural e Esportiva para os estudantes da cidade e em 2007 organiza a maior passeata já organizada em Novo Hamburgo, com mais de 4 mil estudantes, lutando contra o aumento das passagens de ônibus e contra a falta de professores nas escolas públicas da rede estadual.

"...Mais vale o que será" (Milton Nascimento)

Todo esse histórico, faz com que a entidade de luta dos estudantes se confunda com a história de Novo Hamburgo, que sempre contou com a UENH, seus posicionamentos e sua mobilização, sendo inclusive, referência no meio politico da cidade. Sempre contou ainda, com os jovens formados no seio de sua organização que, uma parte consideravel deles, ocupa papel de grande destaque no cenário municipal, entre eles jornalistas, professores, vereadores e dirigentes políticos e partidários.
Tudo isso só é possível, por que a entidade tem uma grande capacidade de renovar-se a cada ano e a cada dia, mantendo-se atual, dinâmica e democrática, características fundamentais da juventude, mas sem perder a ousadia e a irreverência, mantém seu carater propositivo ajudando a construir Novo Hamburgo e o Brasil.
Muitos anos virão e mesmo 63 anos após sua fundação, a UENH ainda é necessária e continuará sua luta em defesa dos estudantes e da educação.

Vida longa à organização de todos os estudantes de Novo Hamburgo!
Vida longa à UENH!


De Novo Hamburgo, por Tiago Morbach,
Diretor de Comunicação da UJS/RS e ex-presidente da UENH
em seu blog

Nenhum comentário:

Postar um comentário